Qualidade

Programa de Qualidade do Café, criado em 2004, certifica a qualidade do produto final por meio de uma metodologia de análise sensorial, e classifica e diferencia os cafés em 4 categorias: Gourmet, Superior, Tradicional e Extraforte. Além de certificar o produto, a empresa é auditada quanto às boas práticas de fabricação de todo o processo de industrialização, para garantir consistência.

Histórico

Em 2004, a ABIC enfrentou seu segundo desafio, o lançamento do Programa de Qualidade do Café – PQC, um passo decisivo para reorientar o setor e, consequentemente, mudar a percepção do consumidor fazendo com que este abandone a crença de que os cafés são todos iguais.  A intenção do Programa em aumentar ainda mais a qualidade do café oferecido se baseou numa  estratégia  simples e objetiva: consumidor satisfeito consome mais.

Fundamentado na premissa de que a qualidade é a forma principal do consumo de café e que a adesão ao programa significa um comprometimento da indústria  com a adoção de padrões de qualidade da matéria-prima, manutenção de sabor ao longo do tempo, além de boas práticas de fabricação, o PQC serviu como ferramenta de aperfeiçoamento para as torrefações, não apenas para produzir um produto melhor, mas, também, assegurar  consistência da qualidade do café e do processo industrial, garantindo repetibilidade do padrão de qualidade em todos os lotes produzidos.

O PQC é o único programa de certificação do produto final e que garante qualidade tanto do processo quanto do produto. Consolida-se como elo de confiança entre a indústria e os consumidores e pretende avançar sobre as questões básicas para uma verdadeira oferta de produtos melhores.

Diferenciar e certificar o café por categorias de qualidade permite que o consumidor identifique e escolha o sabor que mais lhe agrada.

Como todo programa que incorpora novos conceitos e atitudes, além de exigir a adequação da própria indústria, o PQC iniciou lentamente e ganhou corpo com a maior adesão das indústrias e maior parceria do varejo. Hoje, diversos supermercados já expõem as marcas por categorias de produtos e muitos consumidores escolhem seus cafés através da experimentação comparativa.

Como funciona

Qualidade Global da Bebida é a percepção conjunta dos aromas da bebida e de seu grau de intensidade, sendo que quanto mais aromático, melhor a qualidade do café; dos sabores característicos de cada bebida do café; de um amargor típico, mas não o resultante de torra excessiva; da presença não preponderante do gosto de grãos defeituosos; da inexistência do gosto característico de grãos fermentados, tudo se traduzindo numa sensação agradável durante e após a degustação.

A avaliação da qualidade da bebida café é feita por provadores treinados em laboratórios credenciados por meio de análise sensorial e leva em conta aroma, acidez, corpo, adstringência, fragrância do pó e amargor, entre outras características. A categoria de qualidade do café é determinada conforme a nota de Qualidade Global (QG) obtida pelo produto numa escala de 0 a 10. Esta classificação, que é única no mundo, auxilia o consumidor a decidir qual a qualidade do café que deseja ao adquirir.

Para certificar o café no PQC, a empresa deverá preencher a ficha técnica do produto indicando a categoria a ser certificada e, em seguida, enviar a amostra para análise.

Abaixo, demonstramos de forma simples como acontece todo o processo:
1
2
3
4
Preenchimento da Ficha Técnica do Produto
Envio da amostra para
análise
Realização da análise
sensorial
Resultado dentro da categoria, ABIC concede certificação

Após um ano de sua certificação, para que a empresa possa continuar com a certificação no Programa de Qualidade, é preciso realizar uma avaliação das instalações, condições de trabalho e de toda a linha de processo industrial. Essa verificação (análise do processo) ocorre através de uma empresa Certificadora que poderá realizar este processo através de uma visita presencial ou remota.

As categorias de cafés surgiram da necessidade de educar os consumidores e de forma a fazê-los descobrir as diferenças entre os diversos tipos de cafés. A ABIC classifica os cafés nas seguintes categorias: Gourmet, Superior, Tradicional e Extraforte.

Cafés Gourmets

São de alta qualidade. Suas notas sensoriais são elaboradas e possuem sabor e aroma mais suaves por causa da seleção cuidadosa dos grãos e de torra controlada. São cafés finos, raros e exclusivos, e deixam um gosto muito delicado e agradável na boca. Para ser classificado como Gourmet, o café precisa alcançar uma nota de Qualidade Global de:

Nota de QG >= 7,3 até 10.

Cafés Superiores

Estão na escala intermediaria de qualidade, seu amargor não é tão intenso e geralmente é feito para quem procura uma experiência diferenciada no hábito de tomar café. Tem sabor e aroma equilibrado e agradável e deixa um gosto prolongado na boca. Para ser classificado nesta categoria o café precisa alcançar uma nota de Qualidade Global de:

Nota de QG >= 6,0 e <= 7,2.

Cafés Tradicionais ou Extraforte

É o tipo mais consumido pelo brasileiro, estão na base da escala de qualidade  global da bebida, possuem torra e amargor bem acentuado e normalmente são consumidos pela sua alta rentabilidade. São bons para serem degustados no dia a dia, pois possuem custo bem acessível. Para ser classificado nestas categorias o café precisa alcançar uma nota de Qualidade Global de:

Nota de QG >= 4,5 e <= 5,9.

Benefícios

Cada selo que a ABIC dispõe, agrega valor ao seu produto. No caso do selo de pureza, que todos conhecemos, ele transmite a informação que o café consumido é totalmente puro, ou seja, livre de impurezas e/ou misturas. Já o selo de Qualidade, permite ao consumidor conhecer melhor sobre os atributos do café. Ao colocar no carrinho um café com o Selo de Qualidade ABIC, o consumidor poderá escolher em levar para casa um produto segmentado através de uma categoria, podendo ser Tradicional, Extraforte, Superior ou Gourmet.

Além de um valor agregado ao produto, o Selo de Qualidade garante a aplicação e o cumprimento das Boas Práticas de Fabricação da indústria. Todo este processo é garantido através da realização das análises de monitoramento que a ABIC realiza nos produtos coletados diretamente no ponto de venda, bem como através de visitas  das empresas credenciadas para certificar o processo da indústria.

A ABIC é uma grande validadora de pureza e qualidade de cafés em âmbito nacional, por isso muitos organismos licitadores, com o objetivo de encontrar cafés com excelente custo-benefício, fazem a exigência de certificações da ABIC como parte obrigatória das exigências do edital. É uma excelente oportunidade de inserção em novos ambientes rentáveis.

Não fique de fora! Seja também mais uma empresa participante do PQC.

Análise do Produto

Como é verificada a qualidade do produto?

As empresas com interesse em certificar seus produtos no Programa de Qualidade precisam encaminhá-los para serem analisados. Se a empresa já fizer parte do quadro de associados da ABIC, somente será necessário realizar a análise de Qualidade, caso contrário o produto passará também por uma análise de Pureza.

Para as empresas associadas, o monitoramento da Qualidade é realizado nos cafés coletados no ponto de venda. As coletas são realizadas por auditores independentes que após a coleta, descaracterizam o produto e enviam para os laboratórios credenciados. Anualmente a ABIC realiza cerca de 5.000 análises de monitoramento para os produtos certificados no Selo de Pureza e Programa de Qualidade.

1 – Análise de Pureza

Microscopia: As análises serão realizadas em laboratórios credenciados pela ABIC segundo metodologia oficial. A empresa que ainda não é associada da ABIC, tem que enviar o produto a ser certificado para a análise de Pureza.

2 – Análise de Qualidade

Ficha Técnica: A empresa que pretende certificar o produto, tem que preencher o formulário Ficha Técnica e enviar junto com o produto que será analisado.

Análise da Bebida: O produto será enviado para um laboratório credenciado para realizar a análise sensorial do café. Os provadores, altamente treinados, avaliarão as características do produto e comparam com as informações declaradas na Ficha Técnica.

Após o resultado da análise o produto é certificado no Programa de Qualidade de acordo com a nota de Qualidade Global (QG) alcançada. Podendo ser certificado nas categorias:

Cafés Tradicionais e/ou Extra Forte = nota de QG >= 4,5 e <5,9
Cafés Superiores = nota de QG >= 6,0 e <7,2
Cafés Gourmets = nota de QG >= 7,3 até 10

Análise do Processo

Como é verificada a qualidade do processo?

Após a adesão no PQC, as indústrias passam também a serem verificadas periodicamente (presencial ou remotamente), por Certificadora credenciada pela ABIC, para avaliação das instalações, condições de trabalho e de toda a linha de processo industrial. Isso conduz as empresas para um verdadeiro trabalho de “Boas Práticas de Fabricação”.

As exigências de processo são baseadas na legislação vigente onde são verificadas as condições de controle, rastreabilidade e higiene, incluindo, dentre outros requisitos obrigatórios relativos ao processo produtivo, os seguintes:

  • Áreas Externas e Infraestrutura da Planta Industrial
  • Vestiários e Banheiros
  • Processo de Compra e Armazenamento do Café
  • Processo de Blendagem
  • Processo de Torração
  • Processo de Moagem
  • Processo de Embalagem e Expedição
  • Processo ou Área Responsável por Controle de Pragas
  • Processo ou Área Responsável pelo Controle de Pessoal, Exames Médicos, Saúde e Segurança e Meio Ambiente

Custos

Caso você já seja nosso associado, saiba que o valor de sua contribuição não muda ao fazer parte do programa, exceto em caso de empresas detentoras de marca que industrializam com alguma indústria associada, nestes casos a contribuição é calculada pela quantidade de produtos certificados no Programa de Qualidade do Café. Caso você ainda não seja nosso associado, consulte a aba Como se associar/Pureza e veja como funciona o nosso processo de associação junto à ABIC.

Um ano após a sua certificação no programa, sua empresa passará por uma visita técnica para verificação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação. Essa verificação será realizada de 5 em 5 anos com o objetivo de avaliar as instalações, condições de trabalho e de toda a linha de processo industrial. Para conferir os valores, solicitamos que entre em contato com os nossos organismos certificadores.

Após certificados, os produtos são periodicamente coletados e analisados para garantir que as características sensoriais e a categoria certificada continuem seguindo o mesmo padrão de qualidade apresentado na certificação. Dependendo do número de análises de manutenção realizada, o custo para a sua realização poderá ser subsidiada totalmente ou parcialmente pela ABIC, conforme regra determinada pelo regulamento do programa.

As análises de certificação acontecem de forma totalmente gratuita. A ABIC acredita que é necessário conhecer o programa por um todo, entender a importância dele para os nossos associados e para a classe cafeeira, além de vivenciar os benefícios das certificações de qualidade antes de existir qualquer custo adicional.

Legislação do PQC

A ABIC recomenda que as empresas certificadas realizem as seguintes análises que são obrigatórias para monitoramento de seus produtos:

RDC 277/2005 da ANVISA
Análise de Cascas:  

Análise de Umidade: Café Torrado: máxima 5,0% (g/100 g)

Análise de Cafeína: Produtos descafeinados: máximo 0,1% (g/100g)
– Produtos solúveis descafeinados: máximo 0,3% (g/100g)

RDC 07/2011 da ANVISA
Análise de Micotoxina: Ocratoxina A  (Máximo 10,0 μg/Kg)

RDC 14/2014 da ANVISA
Análise de Matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos (fragmentos de insetos : 60 em 25g)

RDC nº 487/2021 e IN 88/2021 da ANVISA
Análise de contaminantes inorgânicos: Arsênio (Máx. 0,2 mg/kg); Chumbo (Máx. 0,5 mg/kg); Cádmio (Máx. 0,1 mg/kg)

RDC 331 e IN 60/2019 – Padrões microbiológicos
Análise de padrões microbiológicos: Salmonella (=5) e E.coli (n=5)

Empresas Credenciadas

LABORATÓRIOS – Análise Sensorial e Histológica

Carvalhaes
E-mail: lab@carvalhaes.com.br
Tel: (13) 2102-5778
Contato: Eduardo Carvalhaes

GAC – Grupo de Avaliação de Café
E-mail: gac@sindicafesp.com.br / camila@sindicafesp.com.br
Tel: (11) 3125-3160
Contato: Camila Arcanjo

ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos
E-mail: alinegarcia@ital.sp.gov.br
Tel: (19) 3743-1804
Contato: Aline Garcia

SENAI (apenas análise histológica)
E-mail: laboratorios105@sp.senai.br
Tel: (11) 3279-7440
Contato: Lilian Duarte

COLETORAS

Evne
E-mail: wanja.nogueira@evnepesquisas.com.br
Tel.: (11) 2292-6244 / 2292-4086
Contato: Wanja

Bema Consultoria
E-mail: bemaconsultoria@gmail.com
Tel.: (31) 3040-1540
Contato: Claudio

ORGANISMOS CERTIFICADORES

ABS Quality Evaluations
E-mail: fpimenta@abs-qe.com
Tel: (11) 2595-4202
Contato: Fernando Pimenta

E-mail: edlima@abs-qe.com
Tel: (11) 2595-4202
Contato: Eduardo Lima

Fundação Carlos Alberto Vanzolini
E-mail: mariangela@vanzolinicert.org
Tel: (11) 3836-6566 rm. 121 / (11) 3913-7105
Contato: Mariangela

E-mail: renata.santos@vanzolinicert.org.br
Tel: (11) 3913-7106
Contato: Renata Santos

E-mail: monica.silva@vanzolinicert.org.br
Tel: (11) 3913-7121
Contato: Monica Silva

RINA Brasil Serviços Técnicos Ltda
Email: renata.grotta@rina.org
Tel: (11) 5054-3332 / (11) 99753-5632
Contato: Renata Grotta

Email: lucia.nunes@rina.org
Tel: (11) 5054-3332 / (11) 93033-0869
Contato: Jose Salvador

Email: carlos.carmo@rina.org
Tel: (11) 5054-3332 / (11) 98701-9715
Contato: Carlos Carmo

Email: heliza.andrade@rina.org
Tel: (11) 5054-3332 / (31) 98478-2546
Contato: Heliza Andrade

 

Email: raafael.mendes@rina.org
Tel: 11 5054-3332 / 11 93033-0871
Contato: Rafael Mendes

SGS do Brasil Ltda
E-mail: romolo.jesus@sgs.com
Tel: (11) 3883-8985 (Romolo)
Contato: Romolo Jesus

E-mail: suzy.santos@sgs.com
Tel: (11) 3883-8942
Contato: Susy Santos

TÜV NORD Brasil – BRTÜV.
E-mail: raraujo@tuv-nord.com
Tel: (11) 4689-9400 Rm: 2051 / (81) 98828-1110 (whatsapp e celular)
Contato: Rafaelle Araujo

E-mail: nmafra@tuv-nord.com
Tel: (11) 4689-9400 Rm: 2051 / (11) 99483-7130 (whatsapp)
Contato: Noemi A. Mafra

WQS Certificações Ltda.
E-mail: liliana@wqs.com.br
Tel: (14) 3811-3003
Contato: Liliana Soares

E-mail: weber.gustavo@wqscert.com
Tel: (14) 3811-3003
Contato: Gustavo Weber

E-mail: denise.oliveira@wqscert.com
Tel: (14) 3811-3003
Contato: Denise Oliveira

E-mail: philipe.girotto@wqscert.com
Tel: (14) 3811-3003
Contato: Philipe Girotto

Qualidade - Produtos Certificados - Data base: 14/10/2021

Rolar para o topo
X